Dez comidas típicas que você precisa provar quando for para Pernambuco


Nem só de praia e centro histórico vive o turismo de Pernambuco. Aqui na terrinha a culinária também conta história e tem sabor de cultura e tradição. Por isso, quando você vier para Pernambuco, reserve um tempo para turistar pela nossa gastronomia e sentir de perto o quanto o nosso tempero é único e irresistível! Mas não venha com muita frescura, pois quando se trata de culinária pernambucana às vezes quem vê a cara, não engole o  bode não!

Ah… e tome cuidado para não exagerar para depois não dizer que eu não avisei! 😀

1. BOLO DE ROLO

Bolo de rolo tradicional do Recife.

O meu favorito e o de todo mundo que já experimentou! O bolo que eu desejava diariamente quando morava em Curitiba. E não venha dizer que é “rocambole” que não é! Aliás, comparar bolo de rolo com rocambole paulista é o mesmo que pecar na porta da igreja nas bandas de cá.

Então, antes de comparar, caia de boca – literalmente, rs – nessa maravilha de Pernambuco. Pois só quem nunca comeu essa delícia feita com infinitas camadas de massa fininha, recheada com doce de goiabada e açúcar por cima pode achar que estamos exagerando. Não, definitivamente, não saia de Pernambuco sem comer bolo de rolo. Quem avisa amigo é, viu?

​​
2. TAPIOCA DO ALTO DA SÉ

Tapioca de Olinda <3

Assim como o tradicional bolo de rolo recifense, as tapioqueiras da Sé de Olinda simplesmente não podem passar despercebidas por você. Na verdade, coloque esse afazer na lista do seu segundo dia de viagem. E, independentemente do horário, quando for para a Sé não vá de bucho cheio. O risco de você querer comer mais de uma tapioca é alto! E caso queira perdir a terceira, não se encabule. É normal ficar com “gulodice” mesmo quando o assunto é tapioca. E por aqui ninguém vai estranhar. A fama das tapiocas da Sé concederam a essa iguaria o título de Patrimônio Imaterial e Cultural de Olinda.

​​

3. MACAXEIRA COM CHARQUE E MANTEIGA DE GARRAFA

Se for ficar na casa de amigo ou parente, peça logo no primeiro dia uma macaxeirinha com charque e MANTEIGA DE GARRAFA para jantar. Aliás, esse é o típico prato que combina no café da manhã, almoço e também na janta. E não se preocupe com as aparências, porque se você quiser comer macaxeira nas três refeições do dia não vai pegar mal. Pois se é uma coisa que a gente não tem por aqui é discriminação culinária! Peça macaxeira com charque, desça a manteiga de garrafa e BE HAPPY NOW!

4. GALINHA DE CABIDELA

Primeiro, você vai ser pego(a) pelo cheiro. Depois, pode até estranhar quando vê a cara. Mas é como eu disse, deixe toda sua frescura em casa quando vier para Pernmabuco, porque se não vai perder de saborear essa maravilha da culinária regional, feita com as partes nobres, miúdos, sangue de galinha, batatas cozidas e servida com arroz e uma farofinha se você quiser acrescentar. Dizem que essa iguaria é originária de Portugal (e deve ser mesmo, porque foi dessa fonte que nao raras vezes bebemos para agregar valor à nossa culinária local – mas sempre com o nosso toque de originalidade) e é servida em algumas cidades do Nordeste e Sudeste como ‘frango ao molho pardo’, porém, com acompanhamentos diferentes. Faça esse favor para você mesmo(a) e experimente a nossa galinha de cabidela (OU à cabidela).

5. BOLO SOUZA LEÃO

Sabor e textura incríveis.

Assim como o bolo de rolo, o Souza Leão é patrimônio cultural e imaterial do estado de Pernambuco (essa nem eu sabia – até um dia desses). Eu tinha mania de confundir o bolo Souza Leão com o Barra Branca, mas é claramente óbvia a diferença e, posso afirmar, o sabor é inconfundível. Essa iguaria pernambucana leva  mandioca, leite de coco, açúcar e manteiga – ou seja, tudo aquilo que seu regime condena, mas você não pode viver sem – e essa mistura resulta em um bolo cremoso com consistência de um pudim. M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!

​​

6. SARAPATEL

Tudo bem que o sarapatel não é exclusividade de Pernambuco, mas sim um prato muito tradicional em diversas cidades do Nordeste. Mas eu tinha que comentar sobre ele nessa lista, pois acho o sarapatel  um injustiçado. Esse é um prato bom para a hora do almoço, mas a gente come em qualquer horário ou quando bate a vontade de juntar uma turma e fazer uma algazarra boa. É um prato cheio de “sustância”, que nem a gente diz por aqui e é feito com os sangue e miúdos do bode ou do porco (tadinhos :~ ). Acrescente muita farinha de mandioca e lamba os beiços, pois sarapatel é aquele prato que tem disputa pela panela. Delicioso!

7. ARRUMADINHO DE CHARQUE

Bom pra matar a fome!

Essa lista fica cada vez mais difícil, pois até agora eu não consigo me decidir qual é o meu prato preferido (ó, dúvida cruel!). E quando a gente fala em arrumadinho de charque é que a coisa fica feia – ainda bem que já tomei café da manhã hoje.

Sem muito o que falar do arrumadinho. Só que você vai se lambuzar com esse prato feito com feijão verde, muita charque temperada com verdurinhas cortadas em pedacinhos e tudo isso misturado com farinha de mandioca. Adivinha quem vem junto para acompanhar… arroz branco, claro, e uma manteiguinha de garrafa! PURA TENTAÇÃO. Onde comer? fácil demais. basta chegar por aqui e perguntar onde você pode comer um bom arrumadinho.

​​
8. MUNGUZÁ

Há muitas contradições que variam de estado para estado do Nordeste e também várias maneiras de se fazer esse prato delicioso. Mas só existe uma maneira de tirar a prova real: saboreando o autêntico munguzá pernambucano. Não, não é coisa de época junina, não. Experimente saborear essa delícia no café da manhã juntamente com um pão francês dormido. É muito gostoso, eu juro!

9. CHAMBARIL

Chambaril é a carne, então você provavelmente já deve ter ouvido falar, mas o que vai marcar a sua vida é o modo como os pernambucanos preparam esse quitute. Vou te dar até uma dica: no Recife, coma o melhor chambaril da sua vida no Bar do Luna e depois me conte a sua avaliação!

​​
10. QUEIJO COALHO COM MEL DE ENGENHO

Vai bem com praia, com sol, com amigos e cerveja.

Essa deveria ter sido a minha dica de “entrada”, mas a emoção em escrever esse post foi muito grande. E, acredite, você nunca vai comer queijo tão maravilhoso quando o tradicional queijo coalho pernambucano. Se você for rumo ao interior do estado, estique a viagem até SANHARÓ para conhecer cada maravilha desse município alcunhado como a cidade do leite e do queijo. Porém, se estiver na capital e não quiser ir tão longe, você pode experimentar queijo coalho acebolado, com mel de engenho e até na brasa no Empório Sertanejo ou até na praia de Boa Viagem.

​​
Ufa! cansei.

OBS.: os itens foram listados aqui aleatoriamente – para depois não dizerem que houve preferência no julgamento. rs

Aline Siqueira

Sou pernambucana, natural do Recife, cidade que atualmente é o meu cais. Jornalista, graduada pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), trabalho atualmente como diretora de comunicação em uma agência de conteúdo e digital marketing e também gosto de ser blogueira full time. Amo viajar, escrever, perguntar, aprender coisas novas e experimentar. Curiosa, também me aventuro nas terras do fotojornalismo e tenho como grande paixão e dom fotografar lugares. Desde a faculdade sempre me imaginei um dia trabalhando na Revista Viagem e Turismo. Os caminhos, no entanto, me trouxeram até aqui. Mas, enquanto eu não chego lá, a vida me deu o Entre Embarques, que edito desde 2012, para eu não morrer de emoções jorrando pela boca. Enfim... De avião, de carro, a pé ou de trem, não importa o meio, meu negócio é VIAJAR. Por isso, não esquento se tiver que passar horas em um aeroporto ou num avião porque para mim vira tudo uma aventura. Acho que o segredo é aproveitar a mágica do momento - afinal, o que é viajar se não SE PROPOR, abrir caminhos e expandir horizontes?

Talvez você também goste

Assinar o Entre Embarques

Digite seu endereço de email para assinar o Entre Embarques e receber notificações de novas publicações por email.

Nos siga

Curabitur accumsan sem et nisi ultricies porttitor.

Fanpage

Assinar o Entre Embarques

Digite seu endereço de email para assinar o Entre Embarques e receber notificações de novas publicações por email.